Notícias & Entretenimento

Notícias/Regional

Truculência: Fiscal da Prefeitura de Macatuba é acusado de perseguir comerciante

Comerciante questiona truculência de fiscalização na cidade de Macatuba

Truculência: Fiscal da Prefeitura de Macatuba é acusado de perseguir comerciante
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A redação do jornal Atitude, recebeu na última sexta-feira, 22, reclamação de um comerciante de bebidas da cidade de Macatuba, que teria sido notificado no fim da tarde do mesmo dia, para que cumprisse uma determinação da prefeitura, que exige que seu estabelecimento feche às 22h conforme determinado em alvará.

 

Porém, segundo informações obtidas pelo jornal Atitude junto a populares no local dos fatos, onde outros comerciantes na mesma avenida, trabalham até à meia noite, mesmo que o alvará emitido pela Prefeitura determine que o horário funcionamento seja até às 22h. Este teria sido um dos motivos da reclamação do comerciante junto ao fiscal que o autuou, e motivo pelo qual procurou este jornalista.

O que chamou atenção do comerciante autuado, é o fato de comerciante do mesmo ramo de atividade poderem funcionar até mais tarde e ele não, além da notificação ter sido realizada às 17h de sexta-feira para cumprimento imediato, sem tempo de avisar seus clientes e organizar horário com seus funcionários, que inclusive tiveram que ser dispensados.

 

RESENHA DA TRUCULÊNCIA EM MACATUBA

A reportagem do jornal Atitude, na sexta-feira, entrou em contato com o chefe da fiscalização Agnaldo Paixão De Oliveira, que na ocasião afirmou desconhecer os fatos e a notificação sofrida pelo comerciante.  Também entramos em contato com o fiscal da prefeitura, Cleber Jose Topa, que foi o que autuou o comerciante, mas que disse que só falaria com este jornalista, na Prefeitura, nesta segunda-feira. No entanto, este jornalista se dirigiu até a prefeitura de Macatuba, hoje, segunda-feira, 25, para obter mais informações, o fiscal não apareceu para expor sua versão dos fatos a este jornalista, quem apareceu foi a agente jurídica Eliana Teixeira, acompanhada pelo chefe da fiscalização Agnaldo, que informou a este jornalista que toda e qualquer informação não poderia ser obtida diretamente com os servidores responsáveis do setor, e que se quisesse mais informações, deveria protocolar requerimento junto a assessoria de imprensa da Prefeitura. Piada pronta, né?

Perguntas que ficaram sem resposta: - O que motivou a autuação do comerciante? - Outros comerciantes da mesma avenida foram autuados? - Qual orientação é dada ao comerciante autuado? - A prefeitura tem algum programa de capacitação e orientação ao comerciante que trabalha no período noturno?

Pois é ...

Agora imaginem vcs .. leitores ... que se a imprensa quiser questionar um ministro, um presidente, um deputado, um servidor de uma pasta, não puder mais ... terá que protocolar um pedido de informação junto a assessoria de imprensa para que estes sim... possam ao seu bel prazer responder quando e como quiser ... rá rá rá ... O que será que a prefeitura de Macatuba tem a esconder? Se é assim apenas quando se questiona uma simples notificação, imagine agora como será a vida deste jornalista, mostrando os fatos e acontecimentos semanalmente de coisas mais ásperas ... como cumprimento de contratos de serviços públicos, promessas de campanha e tudo mais ...  Beijos de Luz as autoridades de Macatuba ... estamos chegando!

 

Marcos Xavier

Jornalista do Povo

Veja também

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )